Filho de Bin Laden pode recorrer à Justiça se tiver asilo na Espanha negado

Madri, 5 nov (EFE).- A aceitação do pedido de asilo de Omar Bin Laden, um dos filhos do dirigente da Al Qaeda, suporia sua entrada automática na Espanha, mas se a resolução for negativa, ele pode apresentar um recurso perante os tribunais e, enquanto isso, sua deportação ficar suspensa.

EFE |

Esta segunda opção tem poucas opções de prosperar caso o relatório emitido pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) não apóie o pedido de Bin Laden, que solicitou ontem asilo na Espanha alegando não se sentir a salvo nem no Egito nem em outro país da região.

Segundo explicou à Agência Efe Javier Galpasoro, advogado e representante na Espanha de uma comissão de ajuda ao refugiado, a admissão da solicitação não implica que as autoridades espanholas acordem com o asilo, mas unicamente que o pedido seja estudado mais a fundo.

A notificação da resolução parte do Escritório de Asilo que depende do Ministério do Interior da Espanha.

A admissão suporia a imediata autorização para a entrada de Omar Bin Laden em território espanhol.

Se a resposta da Espanha for desfavorável à pretensão do filho de Osama bin Laden, seu advogado disporia de 24 horas para pedir a reavaliação do caso de seu cliente.

A partir desse momento caberiam duas possibilidades: que se aceite a solicitação e se habilite sua entrada em território espanhol ou que seu advogado apresente um recurso administrativo, o que ajudaria na suspensão de sua deportação. EFE msr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG