Cairo, 15 mar (EFE).- Um dos filhos de Osama bin Laden pediu ao líder supremo da Revolução iraniana, o aiatolá Ali Khamenei, a libertação de vários membros de sua família presos no Irã, em carta divulgada hoje em fóruns islamitas na internet.

Na carta, com data de 1º de janeiro, mas publicada somente hoje na internet, Khaled bin Laden conta que sua família se viu obrigada a viajar por "meios não oficiais" à República Islâmica após "o ataque cruzado (do Ocidente)" no Afeganistão.

Khaled, que não especifica o número de familiares supostamente detidos no Irã, assinala que a maioria são mulheres e crianças, e que um ano após sua chegada ao país, cuja data não indica, foram encurralados pela Inteligência iraniana.

"Quando soubemos disso, escrevemos ao Governo iraniano várias vezes e inclusive pedimos ajuda a acadêmicos e outras pessoas influentes para que intermediassem para sua libertação, com a promessa de que nunca voltariam ao Irã, mas todos estes esforços não serviram para nada", explica o filho do líder da Al Qaeda.

Em dezembro do ano passado, um irmão de Khaled, Abdel Rahman bin Laden, de 30 anos, denunciou à "Al Jazira" que cinco irmãos seus e uma esposa de seu pai estavam detidos pelas autoridades iranianas desde 1997. EFE ssa/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.