O filho do homem mais procurado do mundo, Osama Bin Laden, está detido no aeroporto de Madri tentando conseguir asilo político na Espanha. Omar Osama Bin Laden chegou à capital espanhola na noite de segunda-feira para uma escala aérea e surpreendeu a polícia.

No controle de fronteiras, ele identificou-se e pediu asilo.

Omar Osama Bin Laden, desembarcou com a esposa no terminal 4 do aeroporto de Barajas de um vôo entre o Cairo e Madri e deveria seguir viagem até Casablanca.

No momento de apresentar o passaporte da Arábia Saudita com dois vistos vencidos da Bélgica e da Itália, o filho do líder da organização extremista Al-Qaeda, disse que não queria continuar a viagem e que sua intenção era solicitar asilo político na Espanha, segundo fontes policiais no aeroporto.

Omar Osama Bin Laden, 28 anos, passou a noite na sala de trânsito e de pessoas não-admitidas do aeroporto, e na manhã desta terça-feira foi entrevistado pelos funcionários do Departamento de Asilo e Refúgio do Ministério do Interior, que encaminharam o pedido com "com caráter especial e de urgência", como informou à BBC Brasil a assessoria do Ministério.

O expediente com o parecer da comissão do Departamento de Asilo será encaminhado para o gabinete do ministro Alfredo Pérez-Rubalcaba, que dará a última palavra.

O pedido de asilo também inclui a esposa de Omar Osama, cidadã britânica Zaina Al Sabah, 52 anos, que trocou o nome de Jane Felix-Browne quando se converteu ao Islamismo.

O casal já tinha pedido asilo político à Grã-Bretanha no passado mês de abril através da embaixada britânica no Egito, mas a resposta foi negativa.

19 filhos
Omar Osama é um dos 19 filhos de Bin Laden e morou com o pai durante 10 anos no Sudão e Afeganistão.

Durante a adolescência e até completar 20 anos, ele esteve na tropa de extremistas religiosos do Al-Qaeda no Afeganistão. Mas em entrevistas a veículos de comunicação ocidentais, ele definiu-se como um "religioso que pratica o Islamismo de maneira aberta e pacifista".

Conhecido como o filho pacifista de Bin Laden, Omar Osama esteve trabalhando como vendedor de sucata no Egito e disse em entrevista à CNN que "não considera o pai um terrorista".

Mas também gostaria que as nações com diferentes religiosidades se entendessem sem violência. "O uso de bombas e armas não é bom para ninguém", afirmou.

Enquanto espera a decisão sobre o pedido de asilo, Omar Osama ficará retido na sala dos não-admitidos do aeroporto. De acordo com a legislação espanhola, ele tem até um mês para continuar ali e fazer apelações no caso de ser rechaçado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.