Filha de Rupert Murdoch desiste de integrar direção da News Corp.

Em meio ao escândalo de grampos, Elisabeth Murdoch indicou que seria 'inadequado' se ela integrasse a direção da empresa neste ano

iG São Paulo |

AP
No início do ano, o próprio Murdoch havia dito que sua filha Elisabeth, 42 anos, se uniria aos diretores da News Corp.
Elisabeth Murdoch, filha do magnata da mídia Rupert Murdoch, não se unirá à direção do conglomerado News Corporation , diferentemente do que estava previsto anteriormente, anunciou a empresa em comunicado emitido neste sábado.

Diante do escândalo de escutas telefônicas ilegais envolvendo o extinto tabloide News of the World , que era parte do império midiático de Murdoch, Elisabeth, 42 anos, indicou aos diretores do grupo que seria "inadequado" se ela integrasse a direção do grupo neste ano. No início deste ano, o próprio Murdoch havia dito que sua filha se uniria aos diretores da News Corp. depois que o conglomerado completasse a compra da produtora de televisão Shine Group, dirigida por ela.

Viet Dinh, membro da junta diretiva da News Corp., indicou no comunicado que tanto Elisabeth quanto a junta "confiam que a decisão reafirme que a News Corp. busca cumprir os padrões mais elevados de direção e que continuará agindo em defesa dos interesses de todos os acionistas, funcionários e consumidores".

A decisão é adotada em um momento em que o grupo midiático enfrenta vários processos de acionistas por causa do escândalo das escutas que provocou o fechamento do tabloide News of the World no mês passado .

Na quinta-feira, até mesmo o músico Paul McCartney disse que irá à polícia por aparentemente ter sido vítima de escutas telefônicas. A declaração foi feita depois que sua ex-mulher Heather Mills alegou que um graduado jornalista do Mirror Group admitiu ter interceptado mensagens deixadas pelo ex-Beatle em sua caixa de voz.

Torta de espuma

Na sexta-feira, a Corte de Magistrados de Westminster, em Londres, reduziu a pena à qual foi condenado o homem que jogou uma torta de espuma de barbear no rosto do magnata Rupert Murdoch, enquanto ele prestava depoimento no Parlamento britânico.

A Justiça aceitou o recurso do comediante Jonathan May-Bowles, conhecido como Jonnie Marbles , de 26 anos. Com a decisão, ele passará quatro e não seis semanas na prisão por perturbação da ordem pública.

O escândalo de escutas vem fervilhando nos últimos anos no Reino Unido, mas em semanas recentes absorveu a mídia, a elite política e a polícia britânicas após alegações de que grampos feitos pelo News of the World interferiram na investigação da morte de Milly Dowler , de 13 anos, em 2006. O homem condenado por sua morte cometeu outros dois assassinatos antes de ser capturado.

Pivô do escândalo, o News of the World, da News Corporation de Rupert Murdoch, foi fechado em 10 de julho após o aumento de denúncias sobre o caso. O tabloide é acusado de ter monitorado os telefones celulares de milhares de pessoas, incluindo políticos e celebridades.

Há uma semana, o juiz britânico Brian Levenson abriu oficialmente o inquérito público judicial sobre o escândalo, que ocorrerá paralelamente ao inquérito policial. A comissão responsável pela investigação é formada por outros seis integrantes, entre eles dois jornalistas, um ex-chefe de polícia e um ativista das liberdades civis.

*Com EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG