Filha de Betancourt diz que Farc devem soltar reféns para ter futuro político

Londres, 1 jul (EFE).- Mélanie Delloye-Betancourt, filha da ex-candidata presidencial franco-colombiana Ingrid Betancourt, acredita que se a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pretende ter um futuro político, deve libertar reféns civis.

EFE |

Em coletiva de imprensa em Londres, Melanie disse que confia em que as Farc possam entrar em um diálogo, talvez com a Venezuela, e espera que o Governo de Bogotá esteja disposto a ajudar.

A filha da ex-candidata presidencial voltou a afirmar que dialogar "não é tão difícil".

"Os que estão sofrendo são os que estão lá", ressaltou Mélanie, que comentou que a última notícia que soube de sua mãe foi através da carta recebida em outubro do ano passado.

Sobre a saúde de sua mãe, Mélanie reconheceu que está debilitada, da mesma forma que os outros reféns que há anos estão na selva colombiana.

Esta é a primeira visita que Mélanie Betancourt faz ao Reino Unido e coincide com a publicação da versão inglesa do livro "Cartas à mãe: direto do inferno", que contém cartas dos dois filhos da seqüestrada pelas Farc.

Ingrid Betancourt foi seqüestrada em fevereiro de 2002 no departamento (estado) de Caquetá. EFE vg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG