Jerusalém, 9 abr (EFE).- Milhares de peregrinos cristãos procedentes de todo o mundo assistem hoje aos atos litúrgicos e comemorativos da Quinta-Feira Santa em Jerusalém, um dos dois dias do ano em que se pode rezar no Cenáculo, lugar da Última Ceia de Jesus Cristo com seus discípulos.

As cerimônias da Quinta-Feira Santa começaram às 7h com uma missa no Santo Sepulcro dirigida pelo patriarca latino, Fouad Twal, que elogiou em seu sermão o "presente da eucaristia" e o "fiel serviço de vários ministros de Cristo, pessoas consagradas que, ao longo dos séculos, trabalharam como generosos construtores da civilização do amor e do serviço".

"Jesus no Cenáculo, tão perto de onde agora nos encontramos, conferiu a seus bispos e sacerdotes a tarefa específica de atuar em seu nome cada vez que o sacrifício de seu corpo e de seu sangue é celebrado", lembrou Twal, pedindo que os religiosos reunidos agradecessem a Deus pelo "presente do sacerdócio e da eucaristia".

A missa durou quatro horas, nas quais houve a leitura de salmos em vários idiomas e cantos gregorianos.

Às 15h, uma procissão franciscana partiu rumo ao Cenáculo, o lugar onde Jesus celebrou com seus apóstolos a Última Ceia.

O custódio da Terra Santa, frei Pierbattista Pizzaballa, dirigiu no local a cerimônia do lava-pés, com a participação de 12 crianças que representavam os apóstolos, em uma demonstração do amor fraterno que, lembrou, deve começar sempre pelos mais necessitados.

A Basílica do Santo Sepulcro, onde amanhã, na Sexta-Feira Santa, terminará a procissão da Via-Sacra, fechou suas portas ao meio-dia por algumas horas, seguindo uma tradição que lembra a véspera da crucificação de Cristo.

As celebrações de hoje terminarão esta noite com a prece da hora santa, na Basílica da Agonia, junto ao Jardim do Getsêmani, onde Jesus se retirou para orar antes de ser entregue por Judas e ser preso pelos guardas. EFE aca/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.