Havana, 26 ago (EFE).- O ex-presidente cubano Fidel Castro se queixou hoje, em um novo artigo de suas Reflexões, de como a imprensa internacional registrou uma coluna de sua autoria sobre o desempenho da delegação de Cuba nos Jogos Olímpicos de Pequim.

"Observei cuidadosamente as reações midiáticas do Ocidente à minha reflexão do domingo sobre os Jogos Olímpicos na China. Fatos sensíveis incluídos nela foram totalmente ignorados, e outros aspectos foram exaltados pelos defensores da exploração", afirmou.

"Não esperava outra coisa. Estava condenado, como os pugilistas cubanos, diante de árbitros e juízes subornados, e sabia muito bem o que publicariam", acrescentou Fidel, em um artigo intitulado "O que não se disse de Cuba".

Na opinião do líder, a imprensa internacional destacou sua justificativa para o lutador cubano de taekwondo que agrediu um árbitro após ser desclassificado, e suas acusações contra juízes que, segundo ele, roubaram a vitória dos atletas da ilha, e não outros aspectos de seu extenso artigo.

Entre "o que não foi dito pela imprensa internacional", segundo Fidel, está o fato de que Cuba "é o único país onde não existe o esporte profissional", ou o único que "criou, há anos, uma grande Escola Internacional de Educação Física e Esporte de nível superior, onde são formados muitos jovens e onde estudam atualmente cerca de 1.500 alunos sem pagar um só centavo". EFE am/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.