Fidel pede continuidade do regime, mesmo após sua morte

O líder cubano, Fidel Castro, garantiu que está bem, mas pediu aos atuais dirigentes que não mudem o regime, se seu estado de saúde piorar, ou até no caso de sua morte, de acordo com artigo divulgado em sua página oficial na Internet, nesta quinta-feira.

AFP |

Fidel, que rompeu um longo silêncio ao divulgar hoje sua primeira "Reflexão" em cinco meses, disse ainda que espera não estar vivo, quando terminar o primeiro mandato do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, daqui a quatro anos.

"Eu estou bem, mas insisto: nenhum deles deve se sentir comprometido por minhas eventuais Reflexões (artigos), o agravamento da minha doença, ou minha morte", declarou Fidel, referindo-se aos funcionários do Partido Comunista de Cuba e do Estado.

mis/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG