Havana, 23 set (EFE).- O líder cubano Fidel Castro elogiou hoje a postura do presidente americano, Barack Obama, em relação à mudança climática, mas indicou que não é justo defender que a humanidade se preservará sob as leis do capitalismo.

Em artigo intitulado "O Obama sério", reproduzido hoje pela imprensa oficial da ilha, o ex-presidente, de 83 anos e afastado do poder desde julho de 2006, ressalta que o discurso pronunciado ontem pelo governante americano na sede da ONU foi um "gesto valente" que demonstra sua preocupação com a mudança climática.

Fidel indica que foi o "Obama sério" que falou nas Nações Unidas, citando uma frase cunhada pelo líder venezuelano, Hugo Chávez, que faz referência ao "enigma dos dois Obamas", e dedica a metade do texto a transcrever alguns trechos do discurso do governante americano.

"O problema agora é que tudo o que afirma está em contradição com o que os Estados Unidos fazem há 150 anos", assinala o líder cubano, que não deixou de atacar essa nação, apesar dos elogios a seu chefe de Estado.

Fidel ainda analisa no texto como os padrões militares dos Estados Unidos e as sociedades de consumo na economia capitalista "são incompatíveis com o objetivo de salvar a espécie humana".

Segundo o líder cubano, "o presidente dos EUA admitiu que as nações desenvolvidas causaram a maior parte do dano e devem assumir a responsabilidade".

"Foi, sem dúvidas, um gesto valente (...) É justo reconhecer também que nenhum outro presidente dos Estados Unidos teria tido a coragem de dizer o que ele disse", elogiou. EFE arj/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.