Havana, 19 nov (EFE).- O ex-presidente cubano Fidel Castro relatou hoje, em artigo, que aproveitou o encontro com o chefe de Estado da China, Hu Jintao, na terça-feira, para explicar que os americanos querem impor suas idéias e assegurar que o líder venezuelano, Hugo Chávez, é o mais firme defensor do socialismo.

"Mostrei a ele, de forma muito sintética, algumas avaliações de nosso país sobre o hábito do vizinho do norte (EUA), que pretende nos impor suas idéias, seu modo de pensar e seus interesses através de suas frotas, repletas de armas nucleares e bombardeiros de ataque", disse Fidel, em texto na coluna "Reflexões".

O cubano também explicou a Hu, na reunião de ontem, "que o presidente Chávez, grande admirador da China, foi o mais firme defensor do socialismo como o único sistema capaz de levar a justiça aos povos da América Latina".

Fidel detalhou que seu diálogo com Hu "aconteceu durante uma hora e 38 minutos" e que o líder chinês "foi cálido, amistoso, modesto, e deixou claros seus sentimentos de afeto".

O líder cubano louvou a China por ser o único país entre os mais ricos do planeta, "que pode regular através do Estado um elevado índice de crescimento, ao ritmo que se propõe, não menor que 8% no ano de 2009".

O presidente chinês viajou esta manhã para Lima, após uma visita de 36 horas a Havana. EFE am/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.