Fidel diz que opinião pública tem direito de saber tamanho da crise

Havana, 30 mar (EFE).- O ex-presidente cubano Fidel Castro afirmou hoje que a opinião pública do planeta tem o dever e o direito de saber mais sobre a crise econômica mundial e suas consequências, e voltou a criticar os veículos de comunicação internacionais.

EFE |

"A opinião pública mundial tem o dever e o direito de saber mais sobre os problemas econômicos de uma crise que atinge hoje todos os povos do mundo", afirmou Fidel em um novo artigo da série de "Reflexões", intitulado "China nos veículos de comunicação internacionais" e divulgado no site oficial www.cubadebate.cu.

Fidel destacou a importância da China para a economia mundial e lembrou que "é o principal credor dos Estados Unidos", com US$ 740 bilhões em bônus do Tesouro americano.

Hoje, o líder cubano ressaltou que "a maioria dos veículos de comunicação internacionais informaram somente" no domingo sobre suas "críticas às declarações de (Joseph) Biden, em Viña del Mar", nas quais o vice americano afirmou que os Estados Unidos não levantarão o embargo a Cuba, e desprezaram seus comentários sobre China.

Além disso, ressaltou que a "Alemanha é, atualmente, o país industrializado que exporta o mais alto percentual de seu Produto Interno Bruto (PIB)", e que "a crise econômica o afeta mais que a nenhum outro". EFE jlp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG