Fidel diz que Obama está preso às contradições do regime capitalista

O líder Fidel Castro formulou uma lista de perguntas a Barack Obama, em artigo publicado nesta quinta-feira na imprensa cubana, concluindo que o atual presidente dos Estados Unidos está à mercê das contradições do sistema capitalista; expressou,também, dúvidas de que possa mudar a política do país.

AFP |

"Renuncia ou não à prerrogativa como Presidente dos Estados Unidos de ordenar o assassinato de um adversário político estrangeiro, que costuma ser sempre o de um país subdesenvolvido?", questionou.

O líder comunista de 82 anos que, segundo a inteligência cubana foi alvo de 634 complôs e conspirações de assassinato, citou as ações contra Cuba em meio século de revolução, como atos de terrorismo: a invasão da Baía dos Porcos (1961), a introdução de vírus nas plantações cubanas, a política migratória e o embargo imposto desde 1962.

Castro, que há uma semana expôs as primeiras divergências com Obama, depois de tê-lo elogiado, disse que não o responsabiliza por fatos ocorridos quando nem sequer havia nascido, mas que tem "seu papel dentro de um sistema que representa a negação de todo o princípio justo".

Castro, afastado do poder desde que ficou doente em julho de 2006, dedicando-se a escrever durante sua convalescença, considerou que "como velho político e lutador", não comete "nenhum pecado ao expor modestamente" suas idéias.

Aproveitou para questionar a política econômica de Obama, concretamente a energética, assinalando que suas críticas são "feitas com decência e respeito"; não são arremetidas contra o presidente dos Estados Unidos.

mis/cb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG