Fidel diz que não permitirá retorno de atletas desertores a Cuba

Havana, 16 jul (EFE).- O ex-presidente cubano Fidel Castro afirmou hoje que não vai permitir o retorno à Cuba dos atletas que tem desertado e disse que o assunto precisa ser discutido profundamente após os Jogos Olímpicos de Pequim.

EFE |

"Não permitamos que os traidores voltem ao país para exibir os luxos obtidos com a infâmia. Mas também somos culpados por isso", disse Fidel, em artigo publicado no site "cubadebate".

O ex-presidente disse que o esporte do país merece ser discutido a fundo após os Jogos Olímpicos de Pequim.

"Por que não esperamos o final dos Jogos para discutir a fundo e de forma verdadeiramente democrática a responsabilidade de todos com o esporte cubano?", perguntou-se Fidel, que reclamou do processo de formação dos atletas.

"Há muita ciência e pouca consciência na formação dos nossos esportistas", disse.

Recentemente, o diário oficial "Granma" afirmou que o boxe cubano havia entrado em declínio há alguns anos e o principal motivo seria a deserção de lutadores, como Erislandy Lara.

O boxeador abandonou a delegação de Cuba durante os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro e acabou pego pela Justiça do Brasil.

A publicação também deu destaque para a inexperiência da equipe de boxe cubana. Todos os dez lutadores que estarão em Pequim farão sua estréia em Jogos. EFE jlp/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG