Fidel diz que embargo a Cuba deve terminar

HAVANA (Reuters) - O ex-presidente de Cuba Fidel Castro disse no domingo que o embargo norte-americano ao seu país deve terminar, mas não fez referência à recente oferta do seu irmão Raúl, atual presidente, para conversar com os Estados Unidos a respeito de tudo, inclusive presos políticos e direitos humanos. As declarações de Fidel aparecem em um novo artigo no site Cubadebate, o primeiro a respeito da Cúpula das Américas ocorrida em Trinidad e Tobago, onde diversos líderes latino-americanos pediram ao presidente Barack Obama que suspenda o embargo imposto pelos EUA a Cuba desde 1962.

Reuters |

Fidel disse que Obama é "muito inteligente", mas foi "áspero e evasivo" ao responder no domingo a respeito do embargo, durante a entrevista coletiva de encerramento da cúpula.

"Desejo lembrá-lo um princípio ético fundamental relacionado a Cuba: qualquer injustiça, qualquer crime, em qualquer época não tem pretexto algum para perdurar, o cruel bloqueio contra o povo cubano custa vidas, custa sofrimentos", acrescentou.

Às vésperas da cúpula, que começou na sexta-feira, Obama abriu algumas brechas no embargo, ao suspender as restrições para viagens e remessas financeiras de cubano-americanos para a ilha, e ao autorizar empresas norte-americanas de telecomunicações a prestarem serviços para o país vizinho.

Obama disse esperar que Cuba demonstre seu desejo de normalização de relações liberando presos políticos e rebaixando o ágio na conversão de dólares em pesos cubanos.

O presidente de Cuba, Raúl Castro, disse na quinta-feira que Cuba está disposta a manter conversações com os Estados Unidos, inclusive em temas que são sensíveis para o regime de Havana, como direitos humanos, liberdade de imprensa e presos políticos.

"A prova para todos é que não sejam só palavras, mas também fatos", disse Obama no domingo. Ele tem dito que pretende reformular as relações entre Washington e Havana, mas que continuaria usando o embargo como forma de estimular reformas na ilha.

Em seu artigo, Fidel citou grande parte de um discurso proferido por seu aliado Daniel Ortega, presidente da Nicarágua, que falou em Trinidad sobre o longo histórico de queixas latino-americanas contra os EUA e repetiu uma frase que teria dito certa vez ao ex-presidente norte-americano Jimmy Carter: "A Nicarágua não tem de mudar, quem tem de mudar são vocês."

"A Nicarágua não lançou uma só pedra contra a nação norte-americana; a Nicarágua não impôs governos nos Estados Unidos; são vocês os que têm de mudar, não os nicaraguenses", disse Ortega, segundo a citação de Fidel.

(Reportagem de Jeff Franks)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG