Fidel diz que acordo de EUA com Colômbia busca controlar A.Latina

Havana, 27 ago (EFE).- O líder cubano, Fidel Castro, afirmou hoje que com o acordo militar com a Colômbia, os Estados Unidos procuram colocar toda a América Latina ao alcance de suas tropas, liquidar o processo revolucionário do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e assegurar o controle do petróleo.

EFE |

"O único propósito dos Estados Unidos com essas bases é pôr a América Latina ao alcance de suas tropas em questão de horas", afirma o ex-presidente em artigo de "Reflexões", divulgado pela imprensa oficial, e no qual qualifica de "cínicos" os argumentos de Washington para defender o pacto.

Fidel se referiu, desta forma, ao acordo militar entre Bogotá e Washington, que permite ao Exército americano usar até sete bases em território colombiano.

"A alta hierarquia militar do Brasil recebeu com verdadeiro desagrado a notícia surpreendente do acordo sobre a instalação de bases militares dos Estados Unidos na Colômbia. A base de Palanquero fica muito perto da fronteira com o Brasil", afirmou o líder cubano.

Ele acrescentou que "com essas bases, unidas às de Ilhas Malvinas, Paraguai, Peru, Honduras, Aruba, Curazao e outras, não restaria um só ponto do território do Brasil e do resto da América do Sul fora do alcance do Comando Sul".

"O objetivo mais imediato desse plano -segundo o artigo- é liquidar o processo revolucionário bolivariano e assegurar o controle do petróleo e outros recursos naturais da Venezuela", afirmou.

"O império, por outro lado, não aceita a concorrência das novas economias emergentes em seu quintal de trás, nem países verdadeiramente independentes na América Latina. Conta com a oligarquia reacionária, a direita fascista e o controle dos principais meios de difusão em massa internos e externos", disse.

"Quando analiso os argumentos com que os Estados Unidos pretendem justificar a concessão de bases militares em território da Colômbia, não posso menos que qualificar de cínicos tais pretextos", afirma o artigo.

Para Fidel, os Estados Unidos afirmam que precisam das bases para lutar contra o tráfico de drogas, o terrorismo, o tráfico de armas, a imigração ilegal e as armas de destruição em massa, mas esse país é o "maior comprador e consumidor de drogas do planeta" e o "maior Estado terrorista que jamais existiu".

O líder acrescentou que o plano americano, incluído o restabelecimento da 4ª Frota, "foi desenhado por (ex-presidente, George W.) Bush e herdado pelo atual Governo dos Estados Unidos, a quem alguns líderes sul-americanos exigem o devido esclarecimento de sua política militar na América Latina".

"A entrega de território para o estabelecimento de sete bases militares dos Estados Unidos na Colômbia ameaça diretamente a soberania e a integridade dos demais povos do Sul e da América Central", afirmou. EFE am/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG