Fidel critica México por não informar gripe antes de viagem de Obama

Havana, 12 mai (EFE).- O ex-presidente cubano Fidel Castro acusou o Governo do México de não informar sobre a gripe suína antes da visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ao México em meados de abril.

EFE |

"As autoridades mexicanas não informaram ao mundo sobre a presença da mesma (epidemia de gripe) esperando pela visita de Obama, e agora o presidente (mexicano, Felipe) Calderón ameaça suspender as relações com Cuba", afirmou Fidel em artigo divulgado no fim da noite desta segunda-feira no site "Cuba Debate".

Calderón comentou recentemente sobre a possibilidade de cancelar a visita que tinha planejado a Cuba para este ano, depois da decisão do Governo de Havana de suspender, em 29 de abril, os voos ao México, em função da epidemia de gripe suíça.

Fidel, de 82 anos, perguntou no artigo "qual é a queixa do presidente mexicano com relação às medidas que Cuba adotou, de acordo com as normas estabelecidas e sem a menor intenção de prejudicar o povo irmão do México?".

"Neste momento, nós e dezenas de outros países pagamos pelos pratos quebrados e ainda somos acusados de adotar medidas prejudiciais ao México", assinalou.

"Agora aparecemos como injustos, sem fundamentos técnicos e somos vistos como um país hostil ao povo do México", acrescentou.

O Governo cubano decidiu no dia 29 de abril suspender os voos diretos ao México após declarar a "fase de alerta" no país.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE jlp/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG