Fidel critica dificuldades impostas a Obama para aprovar a reforma da saúde

O líder cubano Fidel Castro criticou nesta quinta-feira os Estados Unidos porque, enquanto seu presidente Barack Obama sua para conseguir uma reforma da saúde, o país gasta milhões de dólares em armas de tecnologia avançada.

AFP |

"Enquanto esses gastos colossais em tecnologias para matar ocorrem nos Estados Unidos, o presidente desse país sua para levar serviços de saúde a 50 milhões de norte-americanos que carecem deles", afirma Fidel em novo artigo publicado na imprensa oficial.

O ex-presidente de 83 anos comenta que o orçamento militar nos Estados Unidos é sempre aprovado com amplo apoio, mas "os lobbistas do Congreso, que velam pelos interesses da medicina privada, trabalham contra a reforma".

"Que esperança pode oferecer essa sociedade ao mundo? Até um país bloqueado como Cuba - pelo embargo americano - conseguiu fazê-lo e, inclusive, cooperar com dezenas de países do Terceiro Mundo", enfatizou.

Fidel cita os elevados custos dos serviços médicos que a população americana deve pagar, enquanto o país investe milhões em aeronaves de guerra teleguiadas ou em robôs que podem substituir soldados.

"Os cientistas poderiam igualmente desenhar robôs capazes de governar, assim evitaram esse horrível, contraditório e confuso trabalho ao governo e ao Congresso dos Estados Unidos. Sem dúvida, seriam melhores e mais baratos", concluiu.

mis/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG