Fidel Castro pede Nobel para Clinton por escolher Arias para consolidar golpe

O líder cubano Fidel Castro escreveu um artigo irônico nesta sexta-feira, sugerindo que a secretária de Estado americana Hillary Clinton seja homenageada com o Prêmio Nobel por sua ideia genial de utilizar o presidente da Costa Rica, Oscar Arias, como mediador na crise hondurenha, para assim consolidar o golpe.

AFP |

Em um texto publicado pela imprensa local, Castro afirma que a mediação de Arias foi "uma ideia genial ianque" para "tentar ganhar tempo, consolidar o golpe e desmoralizar os organismos internacionais que apoiaram" o presidente hondurenho deposto Manuel Zelaya.

"Agora, os golpistas já estão mexendo nas esferas oligárquicas da América Latina, algumas das quais, de altas posições estatais, já não se ruborizam ao falar de suas simpatias pelo golpe, e o imperialismo pesca no rio revolto da América Latina", escreveu.

Isto é "exatamente o que os Estados Unidos desejavam com a iniciativa de paz, enquanto acelerava as negociações para rodear de bases militares a pátria de Bolívar (Venezuela)", acrescentou, referindo-se ao acordo em trâmite entre Washington e Bogotá para realizar na Colômbia as operações americanas anti-drogas que até então saíam da base militar de Manta, no Equador.

"É preciso ser justo, e enquanto esperamos a última palavra do povo de Honduras, devemos exigir um Prêmio Nobel para Mrs. Clinton", ironizou o ex-governante cubano.

cb/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG