Fidel Castro pede às Farc que libertem reféns

O ex-presidente cubano, Fidel Castro, pediu, em um texto publicado na edição online do jornal Granma, que os rebeldes das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), libertem os reféns que continuam retidos pelo grupo. No texto, Castro critica o que chama de métodos cruéis usados pela guerrilha nos seqüestros e retenção dos prisioneiros em cativeiro.

BBC Brasil |

"Se algo me atrevo a sugerir aos guerrilheiros das FARC é simplesmente que declarem por qualquer via à cruz vermelha internacional a disposição de pôr em liberdade os seqüestrados e prisioneiros que ainda estiverem em seu poder, sem condição alguma", diz o texto.

Apesar das críticas ao grupo, Fidel Castro afirma que a guerrilha não deve depor suas armas. Segundo ele, "nos últimos 50 anos os grupos que o fizeram não sobreviveram à paz".

O ex-presidente cubano, cuja revolução serviu de inspiração para a formação das Farc, na década de 60, afirmou que defende a paz na Colômbia, mas sem a intervenção estrangeira.

"Expressei com claridade nossa posição em favor da paz na Colômbia, porém não estamos a favor da intervenção militar estrangeira, nem com a política de força que os Estados Unidos pretendem impor de qualquer jeito e custe o que custar a esse povo sofrido e trabalhador", afirmou.

Em sua declaração, Fidel cita ainda a operação de resgate que resultou na libertação de Ingrid Betancourt e outros 14 reféns na última semana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG