velho - Mundo - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Fidel Castro elogia Obama e chama McCain de velho

O líder cubano Fidel Castro elogiou o candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, e qualificou o republicano John McCain de velho e belicoso, segundo uma matéria publicada nesta terça-feira, no dia das eleições nos Estados Unidos.

AFP |

"Barack Obama é sem dúvida mais inteligente e culto que seu adversário republicano", disse Fidel, destacando que como sua opinião foi publicada hoje "ninguém vai poder utilizá-la na campanha" eleitoral americana.

Ao contrário, "McCain é velho, belicoso, inculto e pouco inteligente, além de não ter saúde", disparou o líder cubano de 82 anos, que entregou em julho de 2006 os plenos poderes a seu irmão Raúl por causa de uma grave doença.

Em uma carta enviada quinta-feira passada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fidel Castro comentou que "a ameaça de uma guerra ficaria maior em caso de vitória de McCain.

"Na época em que era piloto de guerra, John McCain largou toneladas de bombas sobre a cidade de Hanoi, a mais de 15.000 km de Washington, sem qualquer remorso ou peso na consciência", disse Fidel na carta enviada a Lula.

"Tenho observado a luta entre os dois. O candidato negro, que surpreendeu ao conquistar a indicação derrotando fortes adversários, tem idéias bem articuladas", elogiou o ex-presidente cubano.

Obama "vai acabar com a guerra no Iraque, e os soldados americanos voltarão para os Estados Unidos", considerou.

Fidel Castro ainda lembrou a origem negra de Obama, em um país onde a população negra "é vítima de uma forte discriminação racial".

"Obama correu, e ainda corre perigo", alertou o líder cubano, para quem o senador democrata está vivo "por milagre".

Fidel comentou ironicamente que sua opinião "não é uma ingerência nos assuntos internos dos Estados Unidos, como diria o departamento de Estado, tão respeitoso da soberania dos outros países".

McCain prometeu manter a pressão sobre Cuba, enquanto que Obama se declarou disposto a dialogar e a levantar as restrições às viagens e aos envios de remessas impostas por Bush para endurecer o embargo vigente desde 1962.

mis/yw

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG