O líder cubano Fidel Castro classificou de show a reunião entre o presidente Barack Obama e outros 120 chefes de Estado e de Governo em Copenhague nesta sexta-feira.

"A ideia é que o ilustre Prêmio Nobel (Obama) possa pronunciar seu discurso pré-elaborado, precedido pela decisão que se adotará nesta reunião de transferir o acordo para o final do próximo ano na Cidade do México", acusou Fidel, no artigo "A hora da verdade", publicado na imprensa local.

Também classificou de "métodos fascistas" os empregados pela polícia em Copenhague contra os manifestantes ambientalistas.

"É evidente, já que uma grande catástrofe ameaça nossa espécie, que o pior talvez seja o egoísmo cego de uma minoria privilegiada e rica que pretende jogar o peso dos sacrifícios necessários sobre uma imensa maioria de habitantes do planeta", acrescentou.

cb/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.