Fidel alterna elogios e críticas a discurso de Obama no Cairo

Havana, 9 jun (EFE).- O líder cubano Fidel Castro alternou hoje elogios, questionamentos e críticas ao analisar o discurso feito no último dia 4 no Cairo pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, dirigido ao mundo muçulmano.

EFE |

Após citar grande parte do discurso em um novo artigo da coluna "Reflexões", de 3.500 palavras, o líder cubano anota que "não se pode culpar" Obama pelos problemas do Oriente Médio, mas questiona suas decisões para resolvê-los.

"É óbvio que ele deseja encontrar uma saída ao colossal enredo criado ali por seus antecessores e pelo próprio desenvolvimento dos eventos durante os últimos 100 anos", escreve Fidel.

Segundo Fidel, a maior dificuldade de Obama está em "que os princípios dos quais fala estão em contradição com a política seguida pela superpotência durante quase sete décadas".

"Cada uma das normas das quais Obama falou no Cairo estão em contradição com as intervenções e as guerras promovidas pelos EUA", afirma.

O líder cubano lembra ainda que os "EUA nunca se opuseram à conquista por Israel de territórios árabes, nem protestou sobre os métodos terroristas empregados contra os palestinos".

"Pelo contrário, criou ali uma potência nuclear, das mais avançadas do mundo, em pleno coração do território árabe e muçulmano, criando no Oriente Médio um dos pontos mais perigosos do planeta", argumenta Fidel na coluna.

Após várias críticas aos EUA, Fidel reconhece que Obama "possui uma capacidade de trabalho impressionante". "Passará tempo e não se verá um caso igual", diz. EFE am/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG