O líder cubano Fidel Castro adverte em um artigo publicado neste sábado que se Manuel Zelaya não for reintegrado à presidência de Honduras, muitos governos vão correr perigo na América Latina e seria negativo para a imagem de Barack Obama e dos Estados Unidos.

"Se o presidente Manuel Zelaya não for reintegrado a seu cargo, uma onda de golpes de Estado ameaça varrer muitos governos da América Latina, ou estes ficarão à mercê dos militares de extrema direita", afirma Fidel no artigo publicado no site Cubadebate.

"Este problema também pode ser muito negativo para um presidente que, como Barack Obama, deseja melhorar a imagem dos Estados Unidos", completa.

"O Pentágono obedece formalmente o poder civil. Mas as legiões, como em Roma, não assumiram o comando do império", opina.

Fidel adverte que se Zelaya admitir manobras de adiamento nas conversações que acontecem na Costa Rica, estas "desgastariam as consideráveis forças sociais que o apoiam e só levam a um irreparável desgaste".

"Zelaya tentou retornar a Honduras, pois sabe que estava em jogo não apenas a Constituição de Honduras, mas também o direito dos povos da América Latina de eleger seus gobernantes", conclui.

cb/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.