Ficar deitada na primeira fase do parto prolonga processo

(Embargada até 20h de Brasília) Redação internacional, 14 abr (EFE).- Deixar a mulher deitada nas primeiras fases do parto prolonga o processo em aproximadamente uma hora, por isso, é muito melhor que a futura mãe fique em pé, sentada ou caminhe, segundo uma recopilação de estudos sobre o tema.

EFE |

Pesquisadores da Cochrane Collaboration, formada por voluntários que realizam relatórios com dados recolhidos do mundo inteiro, chegaram a esta conclusão após analisar 21 estudos realizados em países desenvolvidos desde os anos 60, com a participação de 3,706 mil mulheres.

A primeira fase do parto diminuiu em aproximadamente uma hora entre as mulheres que ficaram em posição erguida, em comparação às que ficaram deitadas, segundo o relatório, publicado no site da Cochrane Library, instituição sem fins lucrativos com base no Reino Unido.

"Na maioria dos países em desenvolvimento, as mulheres permanecem em pé ou caminham durante as fases adiantadas do parto sem sofrer efeitos adversos", afirma a autora principal do estudo, Annemarie Lawrence, do instituto de saúde materno-infantil do hospital de Townsville em Queensland, na Austrália.

Segundo Lawrence, os dados mostram que "há benefícios e nenhum risco ao ficar erguida ou em movimento durante a primeira fase do parto".

Por isso, recomenda que as mulheres adotem qualquer posição que considerarem mais confortável e "evitem ficar deitadas".

Os pesquisadores indicam que é necessária mais informação para entender como as diversas posições para dar à luz influem nos níveis de dor, controle e satisfação entre as parturientes. EFE ik/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG