Festival de Veneza coloca Stallone no rol dos grandes cineastas

Veneza (Itália), 12 set (EFE).- O ator e diretor americano Sylvester Stallone foi homenageado hoje no 66º Festival de Veneza com o prêmio Jaeger-LeCoultre por sua contribuição ao cinema, o que leva o astro das sagas cinematográficas Rocky e Rambo ao rol dos grandes cineastas contemporâneos.

EFE |

O prêmio recebido por Stallone já foi concedido anteriormente a cineastas como Takeshi Kitano, Abbas Kiarostami e Agnès Varda.

Para o Festival de Veneza, Stallone criou e deu vida a personagens que "exploraram a luz e a escuridão do sonho americano em interpretações com precisão, criando uma galeria de retratos vivos que também estão entre os mais lúcidos ícones do cinema contemporâneo americano".

Ao receber a honraria, o ator e diretor disse que não quer "continuar me repetindo com filmes de guerra" e afirmou que seu único objetivo profissional foi sempre ser "honesto e original".

"Sou mais roteirista do que ator e mais diretor do que ator", assegurou Stallone, que ganhou fama mundial começou em 1977 com "Rocky, um Lutador", produção vencedora do Oscar de Melhor Filme daquele ano e pela qual ele foi indicado para as estatuetas de Melhor Ator e Melhor Roteiro Original.

Mesmo com o sucesso na pele de Rocky Balboa e de John Rambo e em filmes como "Stallone Cobra" (1986), "Tango & Cash - Os Vingadores" (1989), "Risco Total" (1993) e "O Especialista" (1994), entre outros, Stallone diz que demorou a se encontrar profissionalmente.

"Agora, com a minha idade (63 anos), começo a fazer o que gostaria de ter feito há 20 anos, que é escrever e dirigir", disse.

E isso o levou a "Os Mercenários" ("The Expendables"), um filme dirigido e escrito pelo próprio Stallone e que, apesar de suas palavras, não parece fugir dos estereótipos que marcaram sua carreira.

Stallone, Jason Statham e Jet Li formam um grupo de mercenários que se infiltrará em um fictício país sul-americano para tentar derrubar um sanguinário ditador.

Rodado no Brasil - país para o qual Stallone afirmou que só tem elogios -, Costa Rica e Estados Unidos, a história reunirá o ator com astros como Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis, Mickey Rourke e Dolph Lundgren pela primeira vez.

"É um filme que fala do homem. Tem muito coração para um filme de ação", acrescentou o diretor da fita.

As primeiras sequências deste novo filme de Stallone serão exibidas hoje à noite em Veneza, assim como uma nova versão de "Rambo IV" (2008), o último representante da saga.

A "versão do diretor" que será mostrada hoje é a "melhor de Rambo", já que, segundo Stallone "mostra sua alma e permitirá entender por que sua vida foi como foi".EFE agf/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG