Festival de cinema ambiental antecipa os temas da Conferência do Clima da ONU

Começa nesta terça-feira na cidade brasileira de Goiás Velho a 11ª edição do Festival Internacional de Cinema Ambiental (Fica), o maior da América Latina e um dos maiores do mundo com esta temática, a apenas seis da conferência da ONU que definirá o acordo substituto para o Protocolo de Kyoto.

AFP |

Este ano, foram selecionadas para concorrer aos prêmios do festival 29 produções de 13 países, com obras que abordam algumas das principais e mais urgentes questões ambientais do século XXI, como a escassez de água, o aquecimento global, a poluição industrial nos países em desenvolvimento e a extinção acelerada de várias espécies.

Um dos destaques do Fica será o lançamento no circuito comercial de "Garapa", nova produção do diretor José Padilha - que em 2008 ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim com "Tropa de elite". O documentário, que foi bem recebido em festivais internacionais como Tribeca e Berlim, conta com imagens chocantes a triste história da fome endêmica e da miséria no Brasil.

Padilha irá a Goiás Velho - cidade história do Centro-Oeste brasileiro declarada Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco - para participar de um debate com a platéia após a projeção do documentário.

A mostra competitiva - para a qual foram inscritas 556 obras de 47 países - terá quatro categorias: longa-metragem, com quatro filmes, média-metragem, com 15, curta-metragem, com oito, e série televisiva, com duas produções de dois episódios cada.

Na categoria principal, participam os filmes brasileiros "A árvore da música", de Otávio Juliano, "Corumbiara", de Vincent Carelli, "Kalunga", de Luiz Elias, Pedro Nabuco e Sylvestre Campe, e o americano "Uma mudança no mar" ("A sea change"), de Barbara Ettinger.

Além dos filmes, o festival também oferecerá mesas de discussão e cursos sobre cinema e meio ambiente. Em um dos fóruns, Andrea Cattaneo, idealizador de um mecanismo de redução de emissões de gases poluentes que será discutido na conferência da ONU, falará sobre o uso de instrumentos econômicos no combate às mudanças climáticas.

Em outra mesa, o americano Eric Davidson, pesquisador da Nasa e coordenador do Woods Hole Research Center (WHRC), um instituto de pesquisa e proteção ambiental, discutirá o aproveitamento sustentável da biodiversidade, da água e dos recursos terrestres.

Os participantes também poderão debater sobre cinema brasileiro contemporâneo com o crítico e teórico Ismail Xavier, que falará em uma das mesas e coordenará um curso sobre cinema moderno e fotogenia.

Estabelecido ao longo de seus 11 anos como um importante evento relacionado ao meio ambiente, este ano o festival acontece em meio a uma agenda crucial para a 15a. Conferência das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (COP-15), que começa no dia 7 de dezembro em Copenhague.

O delicado objetivo deste encontro será estabelecer o texto definitivo de um acordo global de combate às mudanças climáticas para substituir - com mais sucesso, espera-se - o Protocolo de Kyoto, que expira em 2012.

afp/ap/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG