Festejar negócios com excesso de álcool pode levar à morte na China

Um executivo chinês morreu e outro se encontra em coma por ter bebido muito álcool durante a comemoração do fechamento de um contrato, o que denuncia os riscos de beber em excesso para selar acordos comerciais ou políticos, uma prática comum na cultura chinesa, informou nesta segunda-feira a imprensa estatal.

AFP |

Jin Guoding, chefe distrital de recursos hídricos da cidade de Wuhan (centro), morreu na semana passada de um ataque cardíaco por te bebido em excesso quando entretinha uma delegação oficial, segundo a agência Nova China.

Também na semana passada, Lu Yanpeng, chefe distrital da cidade de Zhanjiang, na província de Guangdong (sul), acabou em coma por ter bebido demais durante um jantar com um dirigente do Partido Comunista.

Estas são as vítimas mais recentes de uma cultur que espera que dirigentes e empresários sirvam álcool sem cessar a seus convidados durante elaborados banquetes.

Segundo a Nova China, a tradição diz que um dirigente não se sai bem caso não consiga fazer com que seus convidados fiquem totalmente bêbados.

Em meio à indignação na China pelo estilo de vida extravagante de alguns membros do governo e líderes do Partido Comunista, inúmeras cidades chinesas proibiram estas bebedeiras na hora do almoço.

A agência diz ainda que são gastos todos os anos 500 trilhões de iuanes (73 bilhões de dólares) dos cofres públicos em banquetes oficiais.

dma/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG