Fernando Lugo recebe homenagens e bênçãos no Equador

Fernando Arroyo León Guaranda (Equador), 16 jun (EFE).- O presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, recebeu hoje uma faixa presidencial simbólica que usará durante seu mandato, além do título de doutor honoris causa e de muitas bênçãos de religiosos e do povo da província equatoriana de Bolívar.

EFE |

Enfeitada com um brasão do Paraguai feito à mão com fio de seda, a faixa de veludo foi entregue a Lugo pelas madres carmelitas da cidade de Guaranda, capital de Bolívar, onde ele exerceu o sacerdócio entre 1978 e 1981.

A faixa foi elaborada pela madre Graciela de Santa Teresinha que ressaltou que foi pega de surpresa com a visita de Lugo e que não teve tempo de terminar o trabalho como gostaria.

"Não sabíamos que ele viria", comentou madre Graciela à Agência Efe, depois de dizer que o presente estará pronto no final de julho para ser enviado ao Paraguai.

A madre ressaltou que a faixa não foi feita "só com tela e fios, mas com orações". Segundo ela, uma delas estará escrita no presente, escondida atrás do brasão, que servirá para dar apoio espiritual ao líder paraguaio e pedir "que o Senhor o ilumine na hora de tomar de decisões".

Fernando Lugo agradeceu às freiras carmelitas a perseverança na confecção da faixa e lembrou que o Equador, e especialmente a província de Bolívar, têm um lugar especial em seu coração. O ex-bispo recebeu as chaves da cidade, entregue pela prefeitura, e o título de doutor honoris causa pela Universidade do Estado.

Ao receber a homenagem, Lugo lembrou como compartilhou os textos da Teologia da Libertação com jovens, camponeses e indígenas da serra andina equatoriana durante sua estadia no país.

Por isso, segundo Lugo, Guaranda e Bolívar formaram sua vida pastoral e sacerdotal ao lado dos pobres. Para ele, essa é "uma tarefa que nunca acaba".

Lugo disse ainda que em seu Governo a palavra política será escrita "com letras maiúsculas" e tentará enterrar a "indústria da política" tradicional, à qual chamou de "maneira fácil de fazer fortunas".

Já o presidente do Equador, Rafael Correa, que acompanhou Lugo, destacou no auditório universitário de Guaranda a alegria sentida pela eleição do ex-bispo.

Segundo Correa, a escolha por Lugo no Paraguai demonstra que "os povos latino-americanos despertaram da longa e triste noite neoliberal" e que agora caminham pela estrada da "soberania e da dignidade" nacional.

"Ficamos felizes com a entrada do Paraguai nesta nova etapa na América Latina", disse Correa, após afirmar que o "socialismo do século XXI", defendido por vários governantes esquerdistas da região, pode se transformar em um processo "irreversível".

Correa, além disso, disse a Lugo que a vitória na eleição presidencial não significa tomar o poder, mas o início para devolvê-lo ao povo.

No entanto, o presidente do Equador disse que "o maior poder da história é um povo unido" que luta pelas transformações que deseja e para o qual devem se voltar todos os esforços dos governantes.

Lugo e Correa, que terminaram sua agenda de atividades em Guaranda com um comício na Praça Vermelha da cidade, foram depois à cidade de Echandía, onde o líder eleito paraguaio foi pároco em 1980.

Nessa cidade, seus moradores organizaram um festejo para Lugo, que é muito querido pela população local, especialmente por dona Carmen Minchalo, considerada pelo presidente paraguaio como sua "segunda mãe". EFE fa/rb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG