Fernando Henrique Cardoso reconhece erro em estratégia antidrogas da América Latina

Nova York - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso qualificou a atual estratégia antidroga adotada pelos países latino-americanos de ineficaz e ressaltou a importância da adoção de novas políticas de combate ao narcotráfico.

EFE |

As declarações estão presentes no "The Wall Street Journal", que publicou hoje um artigo assinado por FHC e outros dois ex-líderes do continente: César Gaviria, da Colômbia, e Ernesto Zedillo, do México.

O artigo reúne conclusões de um relatório elaborado pela Comissão Latino-Americana sobre as Drogas e a Democracia, da qual os três ex-líderes fazem parte.

O relatório foi apresentado no Rio de Janeiro no último dia 11 de fevereiro e propõe tratar o consumo de drogas como um problema de saúde pública, para que as autoridades possam se concentrar em erradicar o crime organizado.

Cardoso, Gaviria e Zedillo defendem a implantação de campanhas de conscientização sobre o uso de drogas entre o público jovem. O objetivo é atacar o problema de raiz, como no caso do tabaco.

Para os ex-governantes, a política de repressão e criminalização das drogas, praticada nas últimas décadas, fracassou tanto na erradicação do consumo como no combate às redes de distribuição.

Segundo o relatório, a América Latina é líder em exportação de cocaína e maconha, e vem se consolidando como maior fornecedor de ópio e heroína.

"Estamos mais longe do que nunca da erradicação das drogas", disse o artigo.

Leia mais sobre: Fernando Henrique Cardoso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG