Federação de Jornalistas pede liberdade de homem que atirou sapatos em Bush

Bruxelas, 16 dez (EFE).- A Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) pediu hoje a libertação do repórter iraquiano que lançou seus sapatos e insultou o presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, assim como que se garanta sua segurança.

O jornalista, Muntazer al-Ziadi, da emissora "Al-Baghdadia", está detido após o incidente, no qual chamou o presidente americano de "cachorro".

"Não podemos aceitar suas ações, mas após anos de intimidação, maus-tratos e mortes por resolver por mãos dos soldados dos EUA não é surpreendente que haja ira e ressentimento entre os jornalistas" iraquianos, declarou Aidan White, secretário-geral da FIJ, em comunicado.

A FIJ afirma que a ação foi um gesto simbólico de desgosto em relação à política dos EUA no Iraque, já que mostrar a sola dos sapatos é considerada uma falta de respeito neste país.

Também disse que não é uma coincidência que o protesto chegasse dias após os EUA rejeitarem a libertação de um jornalista iraquiano detido apesar de uma decisão neste sentido de um tribunal iraquiano.

"Quando os EUA parecem desafiar o estado de direito no Iraque, não é surpreendente que os jornalistas busquem outras formas de expressar seu protesto perante a injustiça", acrescentou White.

A FIJ advertiu também que Ziadi pode estar em perigo durante sua detenção "em razão do histórico de maus tratos a jornalistas sob custódia das tropas dos EUA" no Iraque.

Além da libertação de Ziadi, a entidade também pediu que se garanta sua segurança, e lembrou que, segundo seus dados, no Iraque foram registrados pelo menos 283 assassinatos de jornalistas desde abril de 2003. EFE rcf/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG