O Federal Reserve (Fed, banco central americano) anunciou no domingo que aceitou a proposta de transformar o status de dois grandes bancos de investimentos americanos em holdings. A medida tem como objetivo ajudar o Morgan Stanley e o Goldman Sachs, os dois últimos bancos de investimentos independentes dos EUA, a superar a atual crise financeira.

Com a mudança de status, as instituições poderão criar bancos comerciais, que poderão receber depósitos, contribuindo para levantar fundos, e receber a ajuda que será fornecida pelo pacote de resgate anunciado na sexta-feira pelo governo.

Em nota, o Fed disse que a transformação dos dois bancos em holdings "proverá mais liquidez às empresas e permitirá que suas subsidiárias recebam créditos" prometidos nos pacotes.

As ações do Morgan Stanley e o Goldman Sach ficaram sob grande pressão depois que o Lehman Brothers, o quarto maior banco de investimentos dos Estados Unidos, pediu concordata há uma semana.

A crise se agravou com a compra do Merrill Lynch pelo Bank of America, em uma operação de resgate, o que provocou a queda nas bolsas de todo o mundo.

Na quarta-feira, o governo americano anunciou que também teve de socorrer a AIG, uma das maiores seguradoras do mundo, com uma injeção de US$ 85 bilhões.

Ainda na semana passada, bancos centrais de diversos países realizaram uma ação coordenada que proveu US$ 200 bilhões de dólares aos mercados.

Na sexta-feira, o governo americano anunciou um pacote de US$ 700 bilhões para combater a crise.

O plano prevê a criação de um fundo para adquirir papéis podres originados pela crise hipotecária americana de instituições financeiras em todo o mundo, desde que elas tenham "presença significativa" nos Estados Unidos.

As instituições poderão vender ou leiloar seus papéis podres para o fundo do Tesouro, que os venderá no futuro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.