Fechamento de jornal pró-reformista causa polêmica no Irã

Teerã, 17 ago (EFE).- As autoridades iranianas negaram hoje que tenham ordenado o fechamento do jornal pró-reformista Etemad Meli, pertencente ao clérigo opositor Mehdi Karrubi.

EFE |

"O 'Etemad Melli' não foi fechado... Ele não foi distribuído hoje devido a problemas com a impressão", afirmou o procurador-geral da República Islâmica, Reza Mortazavi, à agência de notícias local "Mehr".

No entanto, no site da publicação, uma mensagem dizia que a versão impressa do jornal "Etmad Melli" foi suspensa na noite de ontem por ordem do escritório de Mortazavi.

Um texto atribuído a Hossein, filho de Karrubi, diz que o jornal em papel teve sua circulação proibida porque, em sua capa, trazia uma carta do clérigo comentando as "acusações e insultos" feitos contra sua pessoa nos últimos dias.

Karrubi denunciou casos de abuso sexual e agressão física contra pessoas presas nos distúrbios e protestos que explodiram após a reeleição de Mahmoud Ahmadinejad como presidente.

As denúncias do pró-reformista foram duramente criticadas pelas autoridades, que negaram as acusações e exigiram do clérigo a apresentação de provas.

O presidente do Parlamento, Ali Larijani, chegou a dizer que as acusações não passavam de mais uma "série de mentiras" e que os investigadores do caso não encontraram indícios de abusos sexuais.

Karrubi, por sua vez, criticou Larijani por "ter se apressado" a desmentir os abusos antes mesmo do fim das investigações. EFE jm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG