FDA apresenta projeto de regulamentação para animais geneticamente modificados

A FDA, a agência americana dos medicamentos e dos produtos alimentares, apresentou nesta quinta-feira um projeto de regulamentação para os animais geneticamente modificados cujos produtos são destinados ao consumo humano.

AFP |

Este projeto, que será submetido aos comentários do público e de profissionais durante 60 dias antes de começar a vigorar, tem como objetivo especificar como a FDA pretende garantir que carne, lacticínios e outros produtos procedentes destes animais não apresentem riscos para os consumidores ou para o meio ambiente.

"Os animais geneticamente modificados são muito promissores para melhorar a medicina, a agricultura e a produção de novos materiais", destacou Randall Lutter, da FDA, em comunicado.

"Este guia fornece um quadro regulamentar, tanto para a criação de animais geneticamente modificados quanto para os produtos derivados destinados ao consumo", acrescentou.

Associações de defesa dos consumidores denunciaram imediatamente o projeto, considerado insuficiente para proteger o público, já que a FDA não impõe a descrição no rótulo da origem destes produtos.

"É incompreensível" que a FDA não exiga uma rotulagem indicando que os produtos são procedentes de animais geneticamente modificados, criticou Michael Hansen, cientista do "Consumers Union", uma grande organização de defesa dos consumidores.

Estes animais podem, de fato, apresentar materiais genéticos procedentes de espécies totalmente distintas, como genes de rato inseridos em porcos para ajudá-los a metabolizar o fósforo, ou genes de aranha implantados em cabras para que elas produzam seda em seu leite.

js/yw/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG