Islamabad, 4 mar (EFE).- O diretor do FBI, Robert Müller reuniu-se hoje com as autoridades do Paquistão, em Islamabad, onde chegou, procedente da Índia, para tratar da investigação paquistanesa sobre o atentado terrorista que matou 179 pessoas em novembro do ano passado na cidade indiana de Mumbai.

Müller esteve com o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari; o primeiro-ministro, Yousef Raza Guilani; e o ministro do Interior, Rehman Malik, especificou um porta-voz da embaixada americana em Islamabad.

O Ministério do Interior disse à agência Efe que o chefe do FBI conversou com Malik sobre "assuntos de interesse mútuo" e se interessou pelos progressos das autoridades paquistanesas nas investigações.

Islamabad reconheceu que "parte" do atentado foi planejada em seu território e iniciou uma investigação paralela à da Índia sobre o massacre.

Por enquanto, as autoridades detiveram seis suspeitos, que pretendem levar à Justiça paquistanesa por participar da organização do atentado, que Nova Délhi atribui ao grupo caxemiriano "Lashkar-e-Toiba" (LeT).

Segundo as televisões paquistanesas, Malik disse a Müller que o Paquistão ainda não recebeu resposta para as perguntas que enviou à Índia para poder prosseguir investigando.

O FBI está colaborando com a Índia na investigação sobre o atentado de Mumbai e se comprometeu a ajudar também o Paquistão.

Na segunda-feira, Müller havia se reunido com o ministro do Interior indiano, P. Chidambaram, em Nova Délhi. EFE igb/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.