Fatah e Hamas retomam o diálogo, segundo fontes palestinas

Gaza, 12 fev (EFE).- O diálogo de reconciliação entre o grupo nacionalista Fatah, liderado pelo da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e o islâmico Hamas retomaram hoje o diálogo no Cairo, anunciou hoje um membro do primeiro grupo.

EFE |

Azam al-Ahmad disse ao jornal "Al-Quds al-Arabi" que "o diálogo de reconciliação (entre as facções rivais) começou, e acrescentou que "houve negociações entre as partes para preparar o caminho para um diálogo global".

O Egito anunciou que tinha enviado convites por escrito aos líderes das 13 facções políticas palestinas, incluindo Fatah e Hamas, para conseguir uma reconciliação nacional palestina.

Em novembro do ano passado, o Hamas boicotou uma reunião no Egito com representantes do Fatah, depois que forças leais deste último grupo detiveram mais de 600 simpatizantes do movimento islâmico na Cisjordânia.

Ahmad e o porta-voz do Fatah, Ahmed Abdel Rahman, mantiveram conversas com dois importantes dirigentes do Hamas no Cairo há dois dias, no primeiro encontro oficial entre os dois movimentos nos últimos meses.

"O Egito prepara-se para ser anfitrião de uma reunião preparatória diante do diálogo global. A reunião que tivemos no Cairo na terça-feira foi o começo de um diálogo integral que já começou com o Hamas", disse Ahmad ao jornal.

Afirmou que representantes das delegações do Fatah e do Hamas "negociaram a formação de comitês conjuntos que começarão seu trabalho em 28 de fevereiro para tentar resolver os diferentes assuntos em disputa".

O membro do Fatah disse que, em sua negociação com representantes do Hamas, foram analisadas outras "questões vitais que pretendemos resolver antes da reconciliação", que não especificou.

Desde que o Hamas venceu as eleições legislativas palestinas, em janeiro de 2006, e constituiu em primeira instância um Governo naquele ano, as disputas com o Fatah pelo poder se intensificaram.

Após vários incidentes violentos na Cisjordânia e em Gaza, houve algumas tentativas de reconciliação que deram lugar a um Governo de união nacional, um ano depois.

Esse executivo não apaziguou os ânimos, e o movimento islâmico assumiu o controle da Faixa de Gaza em junho de 2007, após um confronto armado com o Fatah.

"O que realmente precisamos é de uma forte determinação de ambas as partes, a fim de conseguir o êxito nos esforços de negociação e o trabalho dos comitês mistos que se reunirão no Cairo, em 28 de fevereiro, durante três dias", concluiu Ahmad. EFE sar-db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG