Fatah diz que não dialoga com Hamas até a reconciliação

Cairo, 11 fev (EFE).- O dirigente do grupo palestino Fatah Nabil Shaath assegurou hoje no Cairo que seu movimento não vai dialogar com o Hamas até que esta organização assine a proposta egípcia para uma reconciliação entre todos os grupos palestinos.

EFE |

Shaath, chefe de Relações Exteriores do Fatah, fez as declarações aos jornalistas após reunir-se com o ministro de Exteriores egípcio, Ahmed Aboul Gheit, e o chefe dos serviços secretos, Omar Suleiman.

O responsável do Fatah reiterou a importância de que o Hamas assine a iniciativa egípcia para a reconciliação antes da cúpula da Liga Árabe, prevista para o fim de março em Trípoli (Líbia).

Com relação a isso, explicou que se Hamas assinar o documento egípcio antes da cúpula, esta reunião será centrada em apoiar a causa palestina, se for adiada para depois desta reunião, na mesma serão traçadas estratégias para buscar a reconciliação palestina.

O diálogo palestino permanece em ponto morto desde outubro de 2009, quando o grupo islamita se negou a assinar a proposta do Egito, que foi assinada pelo Fatah, ao considerar que tinham incluído pontos que não haviam sido discutidos.

O plano estabelece a realização de eleições presidenciais e legislativas em 28 de junho, além de sugerir que no próximo pleito, 75% das cadeiras do Parlamento sejam escolhidas proporcionalmente e o restante por circunscrições.

A atual visita de Shaath ao Cairo tem o objetivo informar às autoridades egípcias dos resultados das reuniões que manteve com o líder do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, no último dia 4, o qual primeiro encontro entre dirigentes de ambos os grupos na faixa desde 2007.

A disputa entre Fatah e Hamas piorou em junho de 2007, quando seguidores da organização islamita expulsaram de Gaza às forças leais ao presidente da ANP, Mahmoud Abbas, líder do Fatah. EFE hh/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG