Fashion Rio busca novas tendências e uma nova rainha

Jacinta Rivera Trobo Rio de Janeiro, 8 jun (EFE).- Os principais desfiles da semana da moda do Rio de Janeiro começaram hoje com propostas que exploraram novas fontes de inspiração como a reciclagem, o Art Déco, o Impressionismo e o Surrealismo, enquanto se procura coroar uma substituta para Gisele Bündchen, ausente nesta edição do evento.

EFE |

Diante da ausência da mais famosa top model brasileira, que ficou de fora do evento após três anos de participações consecutivas, outras modelos brilharam na passarela.

Uma das que mais chamou atenção neste domingo foi a jovem Emanuela de Paula - de 19 anos e que já está no cast da grife Victoria's Secret -, que no Fashion Rio desfilou para a Salinas.

Com sua deslumbrante pele morena e com grande desenvoltura na passarela Paula fez com que muitos dos presentes a coroassem como a nova "rainha" da moda carioca.

Outro destaque deste domingo foi a grife de Rita Wainer, que mostrou sua coleção com um espetáculo que a estilista definiu como uma performance conceitual, cíclica e de longa duração.

Wainer afirmou que pretendia "libertar o espectador das amarras do tempo", para que cada um a assistisse no momento em que achasse oportuno.

Durante o espetáculo, algumas modelos representavam as Moiras - deusas gregas que teciam o destino dos homens.

Nas roupas desta coleção destacaram os bordados, os volumes exagerados e os tecidos que chegaram diretamente da Costa do Marfim.

Outra das propostas de destaque foi a coleção Specular de Luana Jardim, uma jovem que levou à passarela materiais pouco convencionais.

A coleção que Jardim criou usando materiais reaproveitados tinha como matérias-primas o ferro, o aço inoxidável e o pó de pirita.

Além dos desfiles que se concentraram na união da moda e da conservação ambiental como convite à reflexão sobre a reciclagem e a busca de novas fontes de inspiração, a Fashion Rio foi palco do nascimento de um espaço de exposições, que fica dentro de alguns contêineres reutilizados.

A exposição, batizada como Fashion Containers, foi inaugurada hoje com o desfile da coleção Tô Bete da estilista Thais Losso, que mostrou seu ar mais pop e experimental para misturar as mais variadas referências e conseguir um equilíbrio perfeito entre trabalho autoral e êxito de vendas.

Com uma coleção exuberante, colorida, sensual e alegre, Losso tentou destacar a "latinidade brasileira", em contraposição à idéia tradicional de que o Brasil tem mais a ver com Portugal do que com seus vizinhos de continente.

Segundo Losso, esta idéia deve ser derrubada, pois há mais elementos de união do Brasil com a América Latina do "que os que os separa".

Além disso, tinha como objetivo, com sua coleção, criar uma reflexão sobre "o que é bonito", "o que não é" e sobre quem estabelece estes critérios.

Além disso, afirmou que, "ao contrário do que se costuma pensar, não é apenas o que vem da Europa e dos Estados Unidos que é belo, enquanto o que nasce na América Latina é feio".

Já a Totem propôs uma explosão de cor para unir a praia ao asfalto com uma enorme gama de tonalidades.

Inspirada no tropicalismo, a coleção da Totem usou os botões de forma generosa, misturou estampas e grandes decotes com uma inspiração étnica modernizada e um ar entre o boêmio e o retro.

Com um orçamento de R$ 8 milhões, a semana da moda do Rio de Janeiro, que começou ontem, reunirá 57 marcas até a próxima sexta.

EFE jrt/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG