Farrah Fawcett critica falta de privacidade em tratamento contra câncer

Los Angeles (EUA.), 11 mai (EFE).

EFE |

- A atriz Farrah Fawcett, conhecida pelo papel da detetive Jill do seriado "As Panteras", criticou a falta de privacidade que sofre ao longo do tratamento contra o câncer ao qual se submete, em entrevista publicada hoje no jornal "Los Angeles Times".

A artista, uma das mulheres mais desejadas dos Estados Unidos nos anos 70, está com câncer terminal. Na entrevista, ela critica os paparazzi e o hospital da Universidade da Califórnia em Los Angeles por tornar seu sofrimento um assunto público.

"É muito mais fácil passar por algo e lidar com isso sem estar sob o microscópio (midiático). Foi estressante. Eu estava aterrorizada por receber quimioterapia. Não é agradável", explicou ao jornal em uma entrevista de agosto.

O depoimento foi divulgado hoje como uma prévia de um documentário que a atriz e sua amiga Alana Stewart fizeram para acompanhar a evolução de Fawcett durante os tratamentos para lutar contra o câncer que sofre e que será exibido na sexta-feira nos Estados Unidos pela emissora "NBC".

A estrela acusou diretamente os serviços médicos da Universidade da Califórnia de negligência por permitir constantes vazamentos do relatório clínico de Fawcett à imprensa sensacionalista durante o período que recebeu tratamento no hospital.

"Nunca estive mais certa de algo em minha vida", disse Fawcett, que, cansada da constante violação de sua privacidade, conseguiu que o hospital fizesse uma investigação para descobrir a fonte das notícias, um empregado que tinha fácil acesso a seus dados.

Fawcett disse ainda que não se sente um exemplo de luta contra o câncer, apesar de receber o apoio e a admiração de pessoas que passam pela mesma situação. EFE fmx/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG