Rio de Janeiro, 30 jul (EFE).- O laboratório Farmanguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), informou hoje que fabricou 210 mil caixas com tratamentos para a gripe suína, que começaram a ser entregues hoje ao Ministério da Saúde e serão distribuídas em todo o país.

Cada caixa contém dez cápsulas com fosfato de oseltamivir, princípio ativo do antiviral Tamiflu, o medicamento que vem sendo recomendado para a maioria dos casos da gripe em todo o mundo.

Os primeiros 150 mil tratamentos foram entregues hoje e outros 60 mil serão disponibilizados amanhã ao Ministério da Saúde.

As dez cápsulas de cada caixa são suficientes para tratar individualmente um paciente.

A maioria das caixas será enviada aos estados do Rio Grande do Sul e o de São Paulo, os mais afetados pela gripe.

A patente sobre o Tamiflu pertence ao laboratório francês Roche, mas o Farmanguinhos obteve uma licença especial para fabricar tratamentos com o princípio ativo do remédio diante da gravidade da situação.

Segundo o Farmanguinhos os remédios foram elaborados com uma pequena parte de uma carga de 9 toneladas de fosfato de osetalmivir em pó que o Brasil tinha em seus depósitos.

A carga tinha sido importada pelo Ministério da Saúde em 2006, diante do temor de que o país fosse afetado pela expansão da epidemia da gripe aviária, o que nunca ocorreu.

Segundo o diretor do Farmanguinhos, Hayne Felipe da Silva, os tratamentos para a gripe foram encomendados pelo Ministério da Saúde há cerca de um mês.

"A partir do princípio ativo, tivemos uma etapa de desenvolvimento tecnológico. Ou seja, tivemos que adaptar o princípio ativo em uma forma farmacêutica, neste caso cápsulas, antes de começar a produzir em escala industrial o produto para atender a encomenda do Ministério da Saúde", afirmou o diretor do Farmanguinhos.

O Brasil encomendou os tratamentos ao laboratório para poder garantir a demanda do medicamento, atualmente em falta na maioria das farmácias do país, enquanto recebe as 800 mil caixas de Tamiflu que solicitou à Roche.

De acordo com Silva, o Farmanguinhos poderá atender outras encomendas se o Governo solicitar, já que conta com capacidade para produzir até 124 mil caixas do remédio por semana.

O Brasil confirmou até agora 59 mortes pela gripe.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE cm/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.