Farmacêuticas oferecem US$ 80 bi a Obama para reforma do sistema de saúde

Washington, 20 jun (EFE).- As farmacêuticas ofereceram hoje ao Congresso e ao Governo do presidente americano, Barack Obama, um compromisso de US$ 80 bilhões ao longo de dez anos para apoiar a reforma do sistema de saúde dos Estados Unidos, disseram fontes políticas.

EFE |

As promessas, que deverão ser incorporadas na legislação que o Congresso estuda, foram feitas em um momento oportuno para o avanço da reforma proposta por Obama, em um sistema de assistência da saúde que é o mais caro do mundo e deixa mais de 45 milhões de pessoas sem cobertura médica.

A proposta do presidente contava com que as farmacêuticas ajudassem a financiar essa reforma, que a Casa Branca calcula que custará mais de US$ 1 trilhão.

Segundo o jornal "Político", a oferta foi aprovada nesta sexta pelo comitê permanente de Pesquisa e Manufatura Farmacêutica dos Estados Unidos, do qual fazem parte as maiores empresas do setor e de biotecnologia.

Depois, o presidente da organização, Billy Tauzin, ligou ao presidente da Comissão de Finanças do Senado, Max Baucus, que liderou o esforço dos democratas para que o Congresso aprove as reformas.

Fontes da indústria farmacêutica, do Congresso e da Casa Branca disseram que os detalhes do acordo serão anunciados durante o fim de semana, e incluem o compromisso das empresas de dar um desconto de 50% a maioria dos beneficiados de um plano de subsídio de despesas médicos do Governo chamado Medicare.

Obama tinha sugerido algo sobre a passeata destas negociações durante um discurso por rádio e pela internet na semana passada, quando afirmou que poderiam conseguir poupar US$ 75 bilhões se reduzissem os preços dos medicamentos sob receita. EFE jab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG