Farc tinham como alvo ex-ministro e irmão de vice-presidente da Colômbia

Bogotá, 7 ago (EFE) - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) planejavam cometer atentados contra o advogado e ex-ministro do Interior e Justiça Fernando Londoño Hoyos e contra um irmão do vice-presidente da Colômbia, Francisco Santos, informou hoje o ministro da Defesa colombiano, Juan Manuel Santos.

EFE |

O funcionário disse à rádio "RCN" que os atentados seriam cometidos por cinco insurgentes das Farc detidos na quarta-feira.

Os detidos são acusados de preparar uma série de ataques por ocasião do feriado de 7 de agosto, data na qual o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, completa a metade do segundo mandato de quatro anos.

Os alvos dos atentados "eram o ex-ministro Fernando Londoño e Guillermo Santos", afirmou o ministro da Defesa.

Ele lembrou que os detidos tinham em seu poder mais de 80 quilos de explosivos, dois veículos que serviriam como carros-bomba e planos de Bogotá.

Entre os detidos estão Jairo Alfonso Lesmes Bulla, conhecido como "Javier Calderón", considerado um "embaixador" das Farc, já que aparentemente teve tarefas internacionais.

Enquanto isso, o general Óscar Naranjo, diretor da Polícia colombiana, manifestou que a captura dos cinco guerrilheiros foi "uma operação que começou há mais de 12 meses".

O ex-ministro Londoño dirigiu a pasta do Interior e Justiça no começo da primeira administração de Álvaro Uribe, entre 2002 e 2005, e tem um programa na emissora "Radio Súper" no qual expressa fortes condenações ao terrorismo.

Guillermo Santos, irmão do vice-presidente da República e primo do ministro da Defesa, é especialista em informática e publica uma coluna sobre o tema no jornal "El Tiempo". EFE gta/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG