Farc rejeitam dialogar com Uribe, mas querem se reunir com Ortega

Caracas, 15 jul (EFE) - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) expressaram em comunicado divulgado hoje a recusa em dialogar com o Governo da Colômbia enquanto Álvaro Uribe for presidente e disseram que desejam se reunir com o chefe de Estado da Nicarágua, Daniel Ortega. Ficou comprovado até não poder mais que Uribe não está comandado pelos gringos (Estados Unidos) nem é a favor da troca nem da paz, assinala o Secretariado do Estado-Maior Central da guerrilha em carta reproduzida pelo canal Telesur. A principal organização guerrilheira colombiana manifesta também que só um novo Governo, verdadeiramente democrático, surgido de um Grande Acordo Nacional, poderia retomar o caminho da busca de uma solução política ao conflito social e armado que vive a Colômbia. A carta é datada de 26 de junho e, portanto, anterior à operação militar que, em 2 de julho, libertou 15 reféns do grupo, entre eles Ingrid Betancourt e três americanos, e também ao posterior anúncio do Governo de Uribe de que busca contato direto com a guerrilha. Na carta, o Secretariado das Farc diz que quer se reunir pessoalmente com o presidente nicaragüense ou com um delegado de Ortega para falar de assuntos da guerra e da paz na Colômbia. A organização agradece ainda Ortega pela inamovível solidariedade em momentos tão difíceis como os vividos após os assassinatos dos dirigentes Raúl Reyes e Ivan Ríos, e a morte de Manuel Marulanda Vélez, o fundador do gr...

EFE |

Haverá novo poder, Nova Colômbia, Pátria Grande e Socialismo", acrescenta a carta. EFE gf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG