Farc pretendiam se infiltrar em universidades brasileiras, diz Colômbia

Bogotá, 16 set (EFE) - O serviço de inteligência colombiano revelou hoje um plano das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para se infiltrar em universidades de Brasil, México e Europa com a finalidade de transmitir as idéias políticas dessa guerrilha e recrutar jovens.

EFE |

A diretora do Departamento Administrativo de Segurança (DAS), María del Pilar Hurtado, afirmou hoje a jornalistas que o Movimento Bolivariano Juvenil das Farc era o encarregado da tarefa de infiltrar as universidades no exterior.

O plano seria liderado pelo chefe rebelde "Ivan Márquez", apelido de Luciano Marín Arango.

"O trabalho de infiltração faz parte da plataforma estratégica das Farc dentro da qual se trabalham dois pontos específicos: a infiltração do movimento estudantil voltado ao exterior e a orientada à Colômbia", afirmou Hurtado.

Ela explicou que o objetivo da infiltração dos rebeldes em universidades da Colômbia e do exterior é demonstrar seu trabalho político e divulgar as idéias das Farc entre os jovens.

"Prova disso são os estudantes que foram achados em acampamentos guerrilheiros ou que as Farc reúnem nesses centros estudantis no exterior", disse em referência à presença de vários jovens mexicanos em um acampamento no Equador do chefe guerrilheiro "Raúl Reyes", morto em 1º de março.

Hurtado destacou que a investigação teve início após serem encontrados alguns e-mails no computador do assassinado líder rebelde José Juvenal Velandia, conhecido como "Ivan Ríos", no qual se confirmou que também tinham infiltrados em colégios de ensino médio do noroeste da Colômbia.

"Através da criação de duas federações de estudantes, universitários e outros de ensino médio, e da infiltração dos demais movimentos universitários já existentes", as Farc buscavam penetrar os centros educativos, assinalou a funcionária. EFE fer/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG