Farc negam acesso de missão francesa a Betancourt

O grupo rebelde Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) negou nesta terça-feira acesso à missão humanitária francesa que pretendia prestar assistência à refém Ingrid Betancourt. Em um comunicado divulgado em sua página na internet, as Farc afirmam que a missão do grupo francês não seria apropriada e que o plano foi anunciado sem nenhuma consulta ou negociação.

BBC Brasil |

A missão havia sido proposta pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, depois de relatos de que a refém estaria com problemas sérios de saúde.

No comunicado, as Farc afirmam que já soltaram seis pessoas neste ano e pediram que o governo da Colômbia crie uma zona desmilitarizada, onde prisioneiros rebeldes possam ser trocados por reféns.

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, tem repetidamente negado o pedido das Farc. No entanto, seu governo já prometeu suspender as operações militares contra as Farc na área onde grande parte dos reféns estariam sendo mantidos.

A ex-candidata à Presidência colombiana Ingrid Betancourt, que possui cidadania francesa, é a refém mais conhecida das Farc. Ela está em poder do grupo colombiano há seis anos.

Recentemente, Ingrid Betancourt apareceu em um vídeo, com semblante fraco e doente.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG