Farc libertam ex-governador na selva da Colômbia

Por José Miguel Gómez VILLAVICENCIO, Colômbia (Reuters) - A guerrilha Farc libertou na terça-feira na selva colombiana o ex-governador Alan Jara, continuando um processo unilateral de entrega de reféns que ocorre nesta semana, com apoio logístico do Brasil.

Reuters |

Jara, 51 anos, ex-governador do departamento do Meta, passou mais de sete anos sequestrado. Ele era parte dos cerca de 30 reféns políticos que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pretendem trocar por mais de 500 guerrilheiros presos.

É o quinto refém desse grupo a ser solto desde domingo, e as Farc ainda pretendem entregar um ex-deputado regional à mesma missão humanitária, liderada pela senadora oposicionista Piedad Córdoba e integrada também por representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

Em nota, o CICV disse que Jara foi entregue "na zona rural do departamento do Guaviare".

Analistas dizem que a guerrilha busca fortalecer sua imagem depois das repetidas baixas sofridas no último ano, como forma de se preparar para uma eventual negociação.

Sorrindo, usando boné escuro e carregando nas costas um saco com seus pertences, inclusive uma panela, o político deu um emocionado abraço na sua esposa, Claudia Rugeles, e no filho, Alan Felipe, segundos depois de pousar num helicóptero brasileiro no aeroporto de Villavicencio.

"Tenho dois problemas de saúde, mas de resto estamos bem", disse o ex-governador em suas primeiras declarações à imprensa depois de caminhar alguns metros em companhia da família.

"Saudação de esperança, hoje houve um milagre, terão de haver mais milagres", afirmou ele, referindo-se aos demais reféns, enquanto apertava mãos de amigos e recebia flores.

Para a libertação de Jara, as Forças Armadas suspenderam suas operações e voos em uma ampla zona da selva.

Jara foi sequestrado em julho de 2001, quando regressava a Villavicencio em um veículo da ONU depois de assistir à inauguração de uma ponte.

Segundo relatos de militares e políticos libertados nos últimos meses, Jara dedicava a maior parte do seu tempo a ensinar inglês a outros reféns.

Nas próximas horas a guerrilha deve entregar o ex-deputado regional Sigifredo López, do departamento do Valle, sequestrado há quase sete anos.

Ainda restarão 22 reféns em caráter político, todos eles militares. Em dezembro de 2008, as Farc disseram que entregariam seis reféns para "gerar condições favoráveis à troca humanitária" de rebeldes por reféns.

A guerrilha também mantém centenas de pessoas sequestradas para fins econômicos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG