Farc constroem biblioteca com fundos de sindicato dinamarquês

Bogotá, 12 set (EFE) - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (Farc-EP) criaram uma biblioteca com fundos doados por um sindicato dinamarquês, informou hoje a Agencia Bolivariana de Prensa (ABP), afim ao grupo guerrilheiro. A União de Trabalhadores da Madeira e da Construção (TIB, em sua sigla dinamarquesa) forneceu fundos à organização, e a guerrilha os empregou para compor uma biblioteca, segundo a nota. Não pusemos condições para que deveriam ser usados os fundos, mas estamos contentes com que os insurgentes tenham decidido gastar os fundos para algo tão útil e humanista como uma biblioteca, disse Viggo Toften-Jorgensen, do coletivo sindical, segundo a notícia. Aparentemente, o TIB doou o capital ao anterior porta-voz das Farc, conhecido como Raúl Reyes, morto este ano em uma operação do Exército da Colômbia no Equador. Toften-Jorgensen assegura que, segundo o ponto de vista de sua organização, é absolutamente legal optar pela luta armada em um país onde os sindicalistas são presos, torturados e até assassinados por criticar o regime no poder. Não dizemos que as Farc não cometem erros -não conheço nenhuma organização que não tenha falhas, principalmente no meio de uma guerra. O chave para nós é que a luta das Farc é legítima, e estamos exercendo nosso pleno direito a apoiá-las, disse o dirigente sindical.

EFE |

EFE ast/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG