vigaristas e traidores - Mundo - iG" /

Farc chama ex-rebeldes que colaboram com Governo de vigaristas e traidores

Bogotá, 3 abr (EFE).- As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) disseram hoje em comunicado que os gerentes de paz designados pelo Governo colombiano, os ex-comandantes rebeldes conhecidos como Olivo Saldaña e Karina, são vigaristas e traidores.

EFE |

Um texto do chamado "secretariado do Estado-Maior das Farc", datado de 1º de abril e chamado de "Gerentes de Traição" dá esse título a Raúl Agudelo, nome real de "Olivo Saldaña", e Elda Mosquera, identidade verdadeira de "Karina".

No dia 5 de março deste ano, o Governo colombiano designou os dois guerrilheiros como os primeiros gerentes de paz. Ambos serão libertados em breve para iniciar seu trabalho, segundo anunciou então o ministro do Interior e de Justiça da Colômbia, Fabio Valencia.

Segundo o comunicado das Farc, "Saldaña" é um "vigarista sem escrúpulos, que desertou e roubou 400 milhões de pesos (US$ 163 mil) do orçamento dos guerrilheiros".

O texto acrescenta que, já fora da organização, o guerrilheiro "extorquiu em nome das Farc até ser capturado um ano depois quando retirava dinheiro de um banco" na cidade de Pereira.

Sobre "Karina", a guerrilha colombiana diz que ela havia desertado seis meses antes de sua entrega, após ter sido expulsa por sua "má conduta pessoal e por ser arbitrária no trato com os guerrilheiros, comportamento contrário às normas internas".

As Farc também alegam que "Saldaña", para "evitar ser condenado, se colocou ao serviço da máfia (...) que agora pretende disfarçá-lo de dissidente".

No mesmo texto, os rebeldes convocaram seus combatentes "e a todos os revolucionários presos a rejeitarem as ofertas de trair seu povo".

"As Farc jamais aceitarão ser equiparadas às hordas de assassinos paramilitares organizadas pelo Estado em sua guerra suja contra o povo", acrescenta o comunicado da guerrilha.

O texto termina dizendo que, "além das ofertas de diminuição de penas e demais esmolas com as quais o regime quer dobrar a consciência dos revolucionários hoje presos, esta suja manobra também acabará indo contra a lealdade, a grandeza de ideais e a disciplina" dos rebeldes. EFE rrm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG