Farc agradecem a Lula por ajuda na libertação de reféns

Florencia (Colômbia), 30 mar (EFE).- As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) agradeceram hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e aos militares brasileiros pela contribuição no processo de libertação de reféns.

EFE |

"Sem (Lula) teria sido impossível a realização dessa tarefa humanitária", afirmam as Farc num comunicado que exalta também "a perícia e o profissionalismo" dos pilotos brasileiros.

Na nota, divulgada através da agência de notícias "Anncol", as Farc asseguram que, com a libertação hoje do sargento do Exército Pablo Emilio Moncayo, o caminho fica aberto para uma "imediata" troca de reféns por guerrilheiros presos.

Segundo a guerrilha, a entrega de Moncayo e do soldado Josué Daniel Calvo, no domingo, devem dar espaço ao acordo humanitário.

Para os rebeldes, essa é a única forma viável para que os prisioneiros que estão na selva sejam libertados.

"As Farc (...) cumpriram a palavra do início de 2009 de libertar de maneira unilateral os prisioneiros de guerra", diz a carta.

A guerrilha fez também uma chamada à comunidade internacional e ao grupo Colombianos e Colombianas pela Paz (CCP), liderado pela senadora Piedad Córdoba, para que somem esforços e cheguem a uma "troca de prisioneiros de guerra".

Piedad Córdoba atuou como intermediária na entrega de 14 reféns libertados, incluindo os dois últimos. A senadora disse à Agência Efe que a troca deve acontecer durante o Governo do presidente Álvaro Uribe, ou seja, antes de 7 de agosto próximo, ao ressaltar que, caso contrário, "seria difícil".

Segundo ela, essa é a única via para que os outros 22 reféns, segundo os números do Governo, recuperem a liberdade. A guerrilha fala apenas em 21 sequestrados "passíveis de troca". EFE fer/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG