Farc aceitam participação do Brasil em entrega de dois reféns

A guerrilha colombiana das Farc aprovou a participação logística do Brasil na libertação de dois militares que são mantidos sequestrados, de acordo com um comunicado divulgado pelo grupo nesta terça-feira pela internet.

AFP |

"Se o governo do Brasil, com a participação do CICR (Comitê Internacional da Cruz Vermelha) tomou a decisão de contribuir com esta missão humanitária, não temos objeção", ressaltaram os rebeldes através da agência Anncol, que normalmente divulga seus comunicados.

A possível participação do Brasil havia sido anunciada anteriormente por delegados da Cruz Vermelha e da Igreja Católica.

Essas duas instituições serão as encarregadas de receber os militares junto com a senadora opositora Piedad Córdoba.

A guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) reiterou no texto a sua decisão de libertar o cabo Pablo Emilio Moncayo - seu refém mais antigo, mantido há mais de 12 anos em cativeiro - e o soldado Josué Calvo, se o governo da Colômbia der garantias de segurança para a operação .

Espera-se que as libertações ocorram na segunda quinzena de março.

Leia mais sobre Farc

    Leia tudo sobre: farc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG