FAO pede ajuda contra fome de 40% da população na Coréia do Norte

Roma, 8 dez (EFE).- As organizações das Nações Unidas dedicadas à alimentação, FAO e PMA, alertaram hoje que quase 40% da população da Coréia do Norte - o que corresponde a cerca 8,7 milhões de pessoas -, necessitarão com urgência de ajuda alimentícia nos próximos meses.

EFE |

A emergência na Coréia do Norte se deve, sobretudo, ao déficit de cereais previsto nos próximos meses, pois apesar das condições meteorológicas favoráveis durante a passada temporada agrícola, a produção do país asiático não cobrirá este ano as necessidades básicas.

Estas previsões baseiam-se em um relatório realizado conjuntamente pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

"Apesar do clima propício e o duro trabalho dos camponeses e muitos residentes nas cidades, a Coréia do Norte não pôde fazer frente à grande escassez de adubos e combustível e as perspectivas para o ano próximo são sombrias", declarou o Chefe do Serviço Mundial de Informação e Alerta de FAO, Henri Josserand.

O relatório estima que a produção alimentícia será de 4,21 milhões de toneladas para o ano comercial 2008/2009 (novembro de 2008-outubro de 2009), o que deixará a Coréia do Norte com um déficit de cereais de 836 mil toneladas.

"As conclusões da missão confirmam o temor do PMA, de que milhões de famílias norte-coreanas sofrerão outro ano de escassez de alimentos", assinalou Torben Due, Representante do PMA na Coréia do Norte.

Além disso, as Nações Unidas sustentam explicou que as rações alimentícias repartidas pelo Sistema Público de Distribuição (SPD), principal fonte de alimentos para cerca de 70% da população, sofrerão um pesado corte, em particular durante a estação agrícola de escassez, desde junho a outubro.

Este relatório do PMA era crucial, já que as autoridades sul-coreanas condicionaram o envio de ajuda a seu vizinho do norte aos resultados do estudo.

O PMA solicitou em setembro à Coréia do Sul uma ajuda de US$ 60 milhões dentro de uma campanha de assistência ao país norte-coreano, que necessitará de aproximadamente US$ 500 milhões nos próximos 15 meses para que não sofra uma crise de fome.

A Coréia do Norte sofreu vários anos de escassez de comida e nos anos 90 se enfrentou uma grave crise de fome. EFE ccg/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG